Connect with us

Telemedicina nos Estados e Municípios

Telemedicina ganha adesão no Ceará por efeito da Covid-19

Uso de videochamadas, telefonemas e troca de mensagens para consultas e acompanhamentos médicos foi fortalecido com as restrições de circulação; 200 mil ligações foram feitas em serviço de saúde pública

Os atendimentos virtuais ganharam mais espaço na agenda dos médicos cearenses desde que a maior recomendação para manter a saúde passou a ser a permanência em casa – com a primeira confirmação do novo coronavírus no Estado, no último dia 15 de março. Convivendo com essas limitações por cerca de três meses, parte dos serviços presenciais agora são retomados, mas os profissionais analisam como a telemedicina pode continuar depois do fim da pandemia da Covid-19.

Pelo Ministério da Saúde, foram prestados 99,7 mil atendimentos pré-clínicos automatizados para o público cearense. Além de 27,5 mil ligações ao Canal 136, 2,9 mil sessões no aplicativo e 596,2 mil por busca ativa. Pela plataforma Doutor Saúde, da Prefeitura de Fortaleza, 8.696 sessões foram feitas desde o início do funcionamento, em abril.

O serviço virtual para consultas e acompanhamentos médicos foi liberado pelo Ministério da Saúde no dia 20 de março, enquanto durar a pandemia, devido às orientações para isolamento social. Essa decisão colocou em prática o tema debatido há cerca de 20 anos no País em que surgiram alguns mitos, como analisa Luiz Roberto de Oliveira, coordenador do Núcleo de Tecnologias e Educação a Distância em Saúde (Nuteds), na Universidade Federal do Ceará (UFC).

Fonte: Diário do Nordeste

Click to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *