Connect with us

Medicina e Tecnologia

Eletrocardiogramas melhorados por inteligência artificial podem acelerar o diagnóstico e tratamento de insuficiência cardíaca

Um novo estudo feito por pesquisadores da Mayo Clinic concluiu que eletrocardiogramas melhorados por inteligência artificial são mais eficazes na avaliação de disfunção cardíaca em pacientes, ajudando a diagnosticar a insuficiência respiratória de um paciente, em comparação com métodos tradicionais ou padrão de tratamento. Um eletrocardiograma, também conhecido como ECG, é uma gravação de 10 segundos da atividade elétrica do coração.

“Determinar a causa da falta de ar de alguém é desafiador para médicos do setor de emergência, especialmente agora que o sintoma de um paciente pode ser resultado de uma variedade de condições, incluindo COVID-19”, diz a Dra. Demilade Adedinsewo, pesquisadora chefe em cardiologia da Mayo Clinic na Flórida e autora principal do estudo publicado em Circulation: Arrhythmia and Electrophysiology, uma revista da American Heart Association (Associação Americana do Coração).

Tipicamente, quando as pessoas vão à emergência por falta de ar, é feito um ECG. Pacientes com suspeita de insuficiência cardíaca podem ser submetidos a um exame de sangue para procurar por biomarcadores elevados específicos, como NT-pro BNP.

“Mas esses níveis do biomarcador podem ser afetados também por obesidade, idade, doença renal, infecção grave, pressão arterial alta, ritmos cardíacos anormais e medicação específica para insuficiência cardíaca,” diz a Dra. Adedinsewo.

“Com um ECG melhorado por inteligência artificial, podemos detectar pioras na função cardíaca com mais precisão e mais rapidamente do que o padrão atual de exames feitos em pacientes sendo avaliados por falta de ar na sala de emergência”, afirma a Dra. Adedinsewo.

Ela acrescenta que as descobertas são especialmente oportunas já que a pandemia da COVID-19 continua. “Ter uma ferramenta que identifica rapidamente a disfunção cardíaca entre pacientes com falta de ar pode alterar como tratamos o paciente, especialmente se for alguém que foi confirmado ter COVID-19 ou que seja suspeito de ser positivo para o novo coronavírus.”

Fonte:mti tecnologia

Click to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *