Connect with us

Coronavírus

A importância do sistema de prontuário eletrônico

Dentre os recursos indispensáveis ao dia a dia de uma instituição de saúde, o sistema de prontuário eletrônico consegue ficar próximo do topo da lista, em particular quando falamos em um cenário agravado por uma pandemia e posterior crise.

Além de trazer mais eficiência e usabilidade aos gestores e profissionais da saúde, esse sistema influencia e muito na oferta de um atendimento diferenciado e serviço de qualidade aos pacientes.

Sistema de prontuário eletrônico: qual sua relevância para enfrentar a crise

Como se já não houvesse complexidade suficiente no cotidiano hospitalar e clínico, a pandemia trouxe ainda mais desafios. A demanda por atendimento rápido e eficiente nunca esteve tão em alta e acompanhar tais mudanças exige atenção e tomada de decisão assertiva.

Para as instituições de saúde que apenas caminhavam em direção à transformação digital, as adversidades se provam ainda mais desafiadoras.

Agora é o momento de absorver as transformações, a fim de dispor de um fluxo de trabalho organizado, atendimento flexibilizado e, sobretudo, melhor gerenciamento das informações e dados dos pacientes, pois somente assim a instituição consegue transpassar esse difícil momento.

Por sua vez, o sistema viabiliza o compartilhamento dessas informações entre as diferentes instituições e demais profissionais da saúde, fomentando a eficiência do atendimento, mais segurança aos pacientes e interoperabilidade.

Contudo, quando falamos em um contexto pandêmico, o recurso de prontuário eletrônico é vital para aliviar o ambiente hospitalar, uma vez que o sistema permite:

1. Rápida identificação de casos confirmados, bem como suspeitos;

2. Definição de tratamentos já aplicados e margem para apontar os próximos passos;

3. Acelera a percepção de condições anormais;

4. Amplia a compreensão à padronização do avanço da doença em determinada região e população;

5. Promove ações mais eficientes ao conter ou mitigar o impacto da doença nos pacientes.

Hoje em dia tudo se transforma em dados, seja através de um atendimento hospitalar de praxe ou complexas demandas geradas pela crise, cada processo oferece informações apuradas que, quando reunidas e tratadas, viabilizam um feedback preciso de como agir em cada caso.

O sistema de prontuário eletrônico está presente desde 2002, ano em que foi implementado no Brasil.

Por meio da Resolução 1.638/02, criada pelo CFM (Conselho Federal de Medicina), foi definido a criação de um documento único composto por informações pertinentes a saúde de cada paciente, definindo assistência e tratamento prestados a ele, com o intuito de possibilitar a comunicação entre membros multiprofissionais e garantir a continuidade da assistência ao paciente.

Fonte: Salux

Click to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *